General do exercito da russia Sergei Rudskoi

Russia reclama dos treinamentos militares provocativos dos EUA e OTAN próximo a fronteira

Os militares russos acusaram os EUA e seus aliados da OTAN de realizarem exercícios militares muito próximos a fronteira do país, uma declaração que reflete as tensões fervorosas entre a Rússia e a OTAN.

(Redação, OMA -- Min. da defesa Russia) -- O general russo Sergei Rudskoi (na foto acima) emitiu uma carta formal à OTAN ontem, segunda-feira (1), criticando-os por realizarem inúmeros exercícios militares ao longo das proximidades fronteiriças com a Rússia e, em diversos casos, alertou o General, diretamente direcionados à Rússia.

Diante ao atual cenário a OTAN (organização do tratado do atlântico norte) poderá estar se preparando para o futuro, disseram especialistas na área militar como o Jason Ditz.

Continua após publicidade

Rudskoi destacou uma recente operação no Mar de Barents, na qual simulavam ataques em território russo e a apreensão de ICBMs (foguetes anti-aéreo) russos. Este foi o primeiro exercício da OTAN desde o fim da Guerra Fria.

As bandeiras dos EUA e da Grã-Bretanha no mar fincadas no mar de Barents eram vistas como uma ameaça chocantes para a Rússia, mas as autoridades dizem que pretendem que os treinamentos miram para o “novo normal”.

Com “denuncia” realizada pelo General Rudskoi mostra que realmente “o novo normal” citado pela OTAN seja uma preocupação crescente.

Pois a OTAN já declarou no passado ser contra as reivindicações da Rússia no norte na região norte do continente europeu.

Rudskoi também apontou para um aumento no número de voos de bombardeiros estratégicos com capacidade nuclear dos EUA perto das fronteiras da Rússia no mês passado.

Guam recebeu os bombardeiros militares dos Eua B1
O general russo Sergei Rudskoi reclamou, em carta, sobre a presença dos bombardeiros militares norte americanos B-1.

Ele disse que os bombardeiros estratégicos B-1B dos EUA voaram na semana passada pelos céus da Ucrânia pela primeira vez, o que levou a Rússia a embarcar em caças e a alertar as forças de defesa aérea.

O ministro da Defesa russo realizou ligações telefônicas com o chefe do departamento militar dos EUA nesta terça (2).

Hoje pela tarde, o ministro da Defesa da Federação Russa e General do exército Sergei Shoygu, manteve conversas por telefone com seu colega dos Estados Unidos, Mark Esper.

Em conversa amigável, os chefes dos departamentos militares trocaram opiniões sobre as questões de combate à propagação do novo coronavírus, a situação no campo do controle de armas,informação e segurança regional.

Durante a ligação com Esper, o ministro da Defesa russo propôs consolidar os esforços dos dois países na luta contra a pandemia do coronavírus, a fim de responder efetivamente hoje e até em situações no futuro, bem como trocar experiências entre os especialistas militares envolvidos neste trabalho, segundo divulgou em nota o ministério da defesa da Russia.

o General Sergei Shoygu mostrou preocupação com a destruição consistente dos tratados internacionais de controle de armas pelos Estados Unidos, incluindo o Tratado sobre Céus Abertos.


Leia também:


Ainda na ligação por telefone, Shoyu questionou Esper sobre a disponibilidade para discutir com o lado americano todas as questões atuais de segurança internacional no âmbito do diálogo estratégico bilateral.

Esper, prontamente confirmou que irá entrar em dialogo com a Russia sobre essas questões.

Para finalizar, o general do Exército, Sergei Shoygu, convidou Mark Esper para participar no dia 24 de junho de um desfile militar na Praça Vermelha em homenagem ao 75º aniversário da vitória mostrando estarem abertos a quaqluer tipo de negociação de forma cordial.

Informações divulgada à imprensa as 16:50, 2 de junho, Ministério da Defesa russo. e Agência oficial de notícias da Russia

Continua após publicidade
Compartilhe

Inscreva-se para ganhar até 65% de descontos em produtos da Amazon