Ebola Congo OMS surto pandemia vírus Ebola

Novo caso de Ebola surge na RD do Congo, segundo o governo local.

O Governo da República Democrática do Congo anunciou que está ocorrendo um novo surto da doença pelo vírus Ebola na área de Wangata, Mbandaka, na província de Équateur.

Republica democratica do congo casos Ebola
O governo da Republica democratica do Congo relatou novos casos de Ebola em seu país. Organização mundial da saúde monta equipes para enviar ao país na intenção de combater o surto. Crédito: O Mundo Agora. (Clique para ampliar)

(Redação, OMA, via OMS) – As informações iniciais do governo da RD do COngo, foram enviadas a Organização mundial da saúde no dia 1º de junho. Na divulgação consta, que, até agora foram detectados seis casos de Ebola em Wangata, dos quais quatro morreram e dois estão vivos e sob cuidados.

Três desses seis casos foram confirmados com testes de laboratório. É provável que mais pessoas sejam identificadas com a doença à medida que as atividades de vigilância aumentam.

Eteni Longondo, ministro da saúde da RD do Congo ainda comunicou os fatos em coletiva a imprensa na capital do país, Kinshasa.

Segundo a OMS (Organização mundial da saúde), este é o 11º surto de Ebola na República Democrática do Congo desde que o vírus foi descoberto no país em 1976.

A cidade de Mbandaka e seus arredores eram o local do 9º surto de Ebola na República Democrática do Congo, que ocorreu em maio até julho de 2018.

Em 2018, a área de Bikoro, na província de Equateur, sofreu um surto de Ebola que matou 33 pessoas.

Desde o surto de agosto de 2018 nas províncias de Kivu do Norte e Ituri, o Ebola já retirou 2.300 vidas.

“Este é um lembrete de que o COVID-19 não é a única ameaça à saúde que as pessoas enfrentam”

Dr. Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS.

Ainda sobre o surto do Ebola, complementa Dr. Tedros; “Embora grande parte de nossa atenção esteja voltada para a pandemia, a OMS continua monitorando e respondendo a muitas outras emergências de saúde”.

O diretor geral da OMS disse a imprensa que equipes de especialistas em saúde está sendo enviada para Republica Democrática do Congo para apoiar as equipes e apresentar uma forte resposta contra o surto do Ebola na região.

Continua após publicidade%MINIFYHTML03f669f78935e35d3253c25cba75731314% %MINIFYHTML03f669f78935e35d3253c25cba75731315%

A equipe irá apoiar na coleta, testes das amostras e a providenciar referências ao laboratório nacional para confirmação. As formas de rastreamento ainda está em estudo e analise.

Desde de ontem (2), estão em andamento trabalhos logísticos para enviar suprimentos adicionais do Kivu do Norte e de Kinshasa para apoiar a resposta liderada pelo governo daquele país.

Até o dia de ontem (2), uma equipe de mais de 25 pessoas chegaram a cidade de Mbandaka.


A OMS também está trabalhando para garantir que serviços essenciais de saúde sejam fornecidos às comunidades, apesar dos esforços médicos estarem apontando para o surto do Ebola

A RD do Congo também foi afetado pela pandemia do COVID-19, até o dia 31 de maio, foram reportados 3195 casos e 72 mortes no total.

Apesar das medidas, testes e envio de equipe médicas. Novos surtos de Ebola são esperados na República Democrática do Congo, dada a existência do vírus em uma reservas ambientais protegidas por lei em diversas partes do país.

Como o Ebola é transmitido aos humanos?

Acredita-se que o vírus foi transmitido para seres humanos a partir de contato com sangue, órgãos ou fluidos corporais de animais infectados, como chimpanzés, gorilas, morcegos-gigantes, antílopes e porcos-espinho.

Ebola surto de epidemia Congo
Apesar de ser considerado um vírus letal, o Ebola, não contagia pessoas pelo ar. Porém, assim como o COVID-19, aconselha-se a não aproximar dos corpos das vitimas do Vírus. Imagem: https://pfarma.com.br

Seu principal sintoma é a febre hemorrágica, que causa sangramentos em órgãos internos. O vírus é nativo da África, onde surtos esporádicos ocorrem ao longo de décadas.

A transmissão de pessoa a pessoa só se dá com o contato direto com os fluidos corporais ou secreções de um paciente infectado. Além disso, a transmissão ocorre, principalmente, em vilas e povoados de áreas rurais. Diferente do COVID-19, o Ebola não contagia pessoas pelo ar.

O Ebola é um vírus que provoca uma doença violenta. Mas, na verdade, não é o vírus que mata as pessoas infectadas. Ao invés de atacar o sistema imunológico, como o vírus da AIDS, o Ebola age de maneira mais sutil e inteligente, fazendo com que o próprio organismo se destrua.

Considerada uma doença grave e muitas vezes fatal, com uma taxa de letalidade de até 90%, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS).

A doença recebe esse nome por causa do rio Ebola, na República Democrática do Congo, onde o vírus foi encontrado pela primeira vez em 1976.

Com informações da OMS e site do ministério da saúde do Brasil.

Continua após publicidade%MINIFYHTML03f669f78935e35d3253c25cba75731316% %MINIFYHTML03f669f78935e35d3253c25cba75731317%
Compartilhe

Inscreva-se para ganhar até 65% de descontos em produtos da Amazon