estudos apontam dexametasona ajuda recuperar pacientes estado grave Dexametasona, no momento o único remédio que ajudou a recuperar pacientes em estado grave da covid-19

Dexametasona, no momento o único remédio que ajudou a recuperar pacientes em estado grave da covid-19

Em um estudo realizado por Oxford, o remédio barato e amplamente disponível reduziu a mortalidade em um terço entre pacientes graves com COVID-19.

Mas calma lá, antes de iniciar vamos deixar claro que este é um medicamento vendido apenas sob prescrição médica. Pois os efeitos colaterais podem ser graves para certas pessoas, inclusive aumento do coração e catarata.

Bem, a faculdade Oxford realizou um estudo com pacientes em estado grave, aqueles que estavam respirando com auxilio de ventiladores.

Para o estudo ser realizado, 2.100 participantes voluntários receberam o remédio em uma dose baixa a moderada de 6 miligramas por dia durante 10 dias, e ao mesmo tempo, os cientistas e médicos compararam os medicados contra cerca de 4.300 pessoas que receberam tratamento padrão para infecção por coronavírus, até o momento.

De acordo com a publicação científica sobre a Dexametasona divulgada pela revista Nature;

“O efeito da Dexametasona foi mais marcante entre os pacientes gravemente enfermos nos ventiladores. Aqueles que estavam em oxigenoterapia, mas não usavam ventiladores, também tiveram melhora: o risco de morrer foi reduzido em 20%. O corticóide não teve efeito em pessoas com casos menos graves de COVID-19 – aqueles que não receberam oxigênio ou ventilação.”

Continua após publicidade.

Em linguagem mais simples, o estudo mostrou que a Dexametasona foi mais eficaz em pacientes internados e em estados grave. Com base nesses resultados, 1 morte seria evitada a cada 8 pacientes ventilados ou cerca de 1 para 25 pacientes que necessitavam apenas de oxigênio.

Peter Horby, professor de doenças infecciosas do Departamento de Medicina de Nuffield, Universidade de Oxford, e um dos principais cientistas no estudo, disse:

A dexametasona é o primeiro remédio a ser mostrado que pode melhorar a sobrevida diante a COVID-19. Este é um resultado extremamente bem-vindo. Os benefícios trzidosa é claro e grande nos pacientes que estão doentes o suficiente para necessitar de tratamento com oxigênio; portanto, a Dexametasona deve agora se tornar padrão de atendimento nesses pacientes. A Dexametasona é barata e pode ser usada imediatamente para salvar vidas em todo o mundo. “

Para o professor de medicina da universidade de Oxford, o remédio foi o que mais demonstrou resultados até o momento, segundo ele:

“Desde o aparecimento do COVID-19, há seis meses, a busca por tratamentos que podem melhorar a sobrevida, principalmente nos pacientes mais doentes os estudos produziram resultados preliminares claros – a Dexametasona reduz o risco de morte em pacientes com complicações respiratórias graves. O COVID-19 é uma doença global – é fantástico que o primeiro tratamento demonstrado para reduzir a mortalidade seja instantaneamente disponível e disponível em todo o mundo.”

-Você pode fazer o download do estudo completo de Oxford neste link, caso desejar: www.recoverytrial.net

Qual a finalidade do Dexametasona?

Segundo a bula do próprio remédio diz que; o medicamento é destinado ao tratamento de condições nas quais os efeitos anti-inflamatórios e imunossupressores dos corticosteróides são desejados, especialmente para tratamento intensivo durante períodos mais curtos.

remedio ajuda recuperação pacientes COVID-19
Dexametasona é um remédio barato e disponível, resultados ajudaram pacientes em estado grave a se recuperar. Imagem: Divulgação.

Por outro lado ele pode sim causar efeitos colaterais grave caso for usado sem prescrição médica. Lembrando que o remédio não é uma vacina muito menos um tratamento especifico para o coronavírus.

Inclusive, ele é totalmente desaconselhável para uso conjunto com qualquer vacina antiviral.

Não há milagres. Sempre procure um médico.

Já estamos no século XXI, época em que computadores cabem na palma de nossas mãos, onde podemos pegar qualquer informação ao redor do mundo em questão de segundos.

Mesmo assim, diante a tanto avanço tecnológico, inclusive na medicina, quando se trata de doenças e estudos científicos temos que ter cautela e procurar auxilio de um especialistas antes de tomar um remédio.

Milhares de pessoas morrem por tomar um remédio por conta própria, outros ficam até com sequelas pelo resto da vida. Não é terrorismo, fake news ou política, é apenas cautela com o nosso bem mais precioso, a vida. Sem contar que, se você se ajudar, estará ajudando os outros.

Fontes: Nature.com , University of Oxford

Flávio Romeu Picinini Junior
Flávio Romeu Picinini Junior

Piloto de avião, cursando Administração de Empresas. Peguei a paixão pela leitura e resolvi colocar em formas de artigos. Gosto de pesquisar, entrar a fundo em qualquer tipo de tema e entender as questões e fatos do dia a dia.

Compartilhe

Inscreva-se para ganhar até 65% de descontos em produtos da Amazon