Wuhan, China relata mais casos de Coronavírus

Wuhan relata primeiro foco de coronavírus desde fim do isolamento

Cidade é epicentro do surto de Coronavírus na China

Wuhan, o epicentro do surto do novo coronavírus na China, relatou nesta segunda-feira (11) seu primeiro foco de infecções desde que o isolamento da cidade foi suspenso um mês atrás, provocando o temor de de uma segunda onda de contaminação mais abrangente da doença.


Disco Voador sobre

Nações Unidas propõe criação de uma única moeda universal

ONU destaca potencial do Bitcoin no meio da crise

O dia em que Discos Voadores Assustaram Curitiba


As novas infecções são um sinal de alerta em meio aos esforços para suavizar as restrições relacionadas ao coronavírus em toda a China – indivíduos estão voltando ao trabalho e empresas estão voltando a funcionar. Ainda não divulgado, outras cidades entraram em lockdown, evitando uma possível segunda onda de contaminação

Wuhan, China, relatou cinco novos casos confirmados, todos do mesmo conjunto residencial. Um deles foi a esposa de um paciente de 89 anos relatado um dia antes como o primeiro caso confirmado da cidade central em mais de um mês.

“No momento, a tarefa de prevenção e controle epidêmico da cidade ainda é muito pesada”, disse a autoridade de saúde de Wuhan em um comunicado. “Precisamos conter o risco de uma retomada resolutamente.”

Todos os casos recentes foram classificados anteriormente como assintomáticos – pessoas que tiveram diagnóstico positivo do vírus e podem infectar outras, mas não exibem sinais clínicos, como febre.

O número de casos assintomáticos na China é desconhecido, já que eles só aparecem no radar das autoridades de saúde quando dão resultado positivo em exames realizados como parte das atividades de rastreamento de contatos e verificações de saúde.

EUA acusam China de que virus veio de laboratório de Wuhan. China esconde informações do Coronavirus

Leia Mais

A China não inclui os casos assintomáticos em sua contagem geral de casos confirmados, hoje em 82.918, até que eles exibam sinais de infecção. A China continental já comunicou 4.633 mortes.

Centenas de casos assintomáticos de Wuhan, que no dia 8 de abril foi liberada de um isolamento de meses, estão sendo monitorados.

O número de casos novos surgidos no país desde abril foi pequeno quando comparado aos milhares confirmados todos os dias em fevereiro, graças a um regime nacional de verificação, exames e quarentenas.

Na sexta-feira, o governo disse que cinemas, museus e outros locais serão reabertos gradualmente, mas que restrições como reservas obrigatórias e um limite ao número de visitantes estarão em vigor.

O polo financeiro de Xangai reabriu algumas atrações noturnas, e a Walt Disney reabriu seu parque na cidade a um número reduzido de visitantes nesta segunda-feira. Apesar do risco de uma segunda onda de contaminação.

Segunda onda de contaminação

Mi Feng, porta-voz da Comissão Nacional de Saúde, disse que infecções novas em sete províncias estão sendo rastreadas.

“Nos últimos 14 dias, sete províncias relataram novos casos de coronavírus transmitidos localmente, e os casos envolvendo focos continuam a aumentar”, disse Mi em um comunicado à imprensa da China.

Inscreva-se!

Fonte: Agência Brasil

Compartilhe

Inscreva-se para ganhar até 65% de descontos em produtos da Amazon