Temporal no Rio de Janeiro pode continuar.

O temporal no Rio de Janeiro deixa 6 mortos; cidade permanece em estágio de crise

O temporal que atingiu a cidade do Rio de Janeiro na noite desta quarta-feira (6) deixou ao menos seis mortos e fez a cidade amanhecer nesta quinta em estágio de crise, o mais grave em uma escala de três em situações do gênero. Houve deslizamento de terra no Vidigal, alagamento de ruas e de um hotel de luxo, desabamento de parte de uma ciclovia e queda de árvores pela cidade. O prefeito Marcelo Crivella (PRB) decretou luto oficial de três dias.

Publicidade

As linhas 1 e 2 do VLT operam em intervalos irregulares por conta do acúmulo d’água em trechos do Centro, segundo o Centro de operações do Rio de Janeiro.

Publicidade

Entre as vítimas estão dois passageiros que viajavam no ônibus atingido por uma árvore que despencou de uma encosta do morro do Vidigal. No momento do acidente, o veículo trafegava pela avenida Niemeyer, que liga o Leblon a São Conrado e é uma das principais vias de acesso entre as zonas sul e oeste. O motorista foi retirado com ferimentos. Uma terceira vítima morreu após a queda de um muro também no Vidigal.

Bombeiros buscam por 3 crianças que teriam sido soterradas. Prefeitura recomenda que população fique em lugar seguro após acionar 39 sirenes. Escolas suspenderam aulas na terça.

A cidade entrou em estágio de atenção às 18h35. Às 20h55, passou para o estágio de crise — o mais grave de três níveis de risco, segundo o Alerta Rio, sistema da prefeitura que está alertando sobre o temporal no Rio de Janeiro

Publicidade

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) prevê mais chuvas fortes com trovoadas até as 10h de terça-feira (9). A prefeitura recomenda que a população somente se desloque “em caso de extrema necessidade”.

Comentários
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial